China: Blockchain pode aumentar a confiança nas instituições de caridade

Uma agência do governo chinês encarregada dos serviços sociais está a planear adotar a tecnologia Blockchain para atualizar o seu atual sistema de rastreamento de caridade. Deste modo, será possível dar uma maior visibilidade às doações públicas.

O Ministério dos Assuntos Civis do país divulgou um plano de ação para 2018-2022 onde delineou várias áreas nas quais pretende usar as tecnologias da Internet para melhorar a transparência das atividades de serviço social.

Parte deste plano indica que o ministério irá tomar uma decisão sobre uma solução Blockchain a ser utilizada para atualizar o atual sistema de rastreamento de caridade até o final de 2018, com a conclusão do projeto planeaado para 2020.

A medida chega num momento em que as atividades de caridade da China estão em polémica depois de escândalos recentes terem levado à desconfiança pública em relação ao sistema.

O ministério notificou as agências de que a rede Blockchain irá integrar os bancos de dados de caridade governamentais existentes em todos os níveis com serviços de doação online operados pelo setor privado.

Para além das organizações tradicionais de caridade, as gigantes da internet como Alibaba e Tencent também lançaram os seus próprios serviços de doação através de aplicações móveis.