Como pode a tecnologia Blockchain ajudar os sem-abrigo

Blockchain já estabeleceu alguns dos seus casos de uso ao serviço de várias causas dignas: ajudar os refugiados, reduzir a pobreza nos países em desenvolvimento, entre outros exemplos.

Agora, Blockchain também está a provar o seu valor para ajudar pessoas vulneráveis mais perto das nossas casas. Várias cidades estão agora a executar iniciativas baseadas em Blockchain para ajudar os moradores de rua a obter um acesso mais rápido e fácil aos serviços de que precisam.

Este artigo foi escrito por Sarah Rothrie e publicado originalmente em CoinCentral.com.

A escala do problema das pessoas sem-abrigo

Todos os anos, cerca de 3,5 milhões de pessoas nos EUA passam por situações de falta de abrigo , com mais de 550 mil pessoas a dormirem na rua todas as noites. Mais de metade daqueles 3,5 milhões correspondem a famílias com filhos. Muitas estão nas cidades maiores, com 1 em cada 5 sem-abrigo em Nova Iorque ou Los Angeles. No Reino Unido, as coisas são ainda mais desanimadoras, com mais de 300.000 pessoas sem-abrigo, mas para uma população nacional bem menor do que os EUA.

As pessoas acabam nesta situação por uma ampla variedade de razões, incluindo mudanças trágicas nas circunstâncias da vida, como a perda de um membro da família ou de um emprego. A doença mental e o vício também são frequentemente responsáveis. Entre as pessoas mais jovens, muitas vezes podem ser disputas familiares que os forçam a sair de casa sem ter para onde ir. Embora alguns acabem nas ruas, outros podem estar a dormir em carros ou a mudarem-se de um lugar para outro a dormir com amigos.

A necessidade de identificação

Com praticamente nenhum meio de segurança pessoal, os sem-abrigo acabam por ter de lutar para proteger os seus pertences. Documentos que comprovam a sua identidade e o seu estatuto na segurança social podem ser rapidamente danificados, perdidos ou roubados. Sem documentos de identificação válidos, os sem-abrigo não podem aceder a serviços diários que normalmente tomamos como garantidos.

Um estudo norte-americano mostrou que, dos moradores de rua sem cartão de identificação, mais de 53% viram o seu acesso negado a vales de alimentação, e mais de 51% viram o seu acesso negado a benefícios de previdência social.

Além disso, mesmo que um sem-abrigo que tenha perdido a sua identificação vá buscar uma segunda via, a horrível ironia é que geralmente precisam de fornecer algum tipo de identificação para obter um documento identificativo de substituição. Estão presos num Catch-22 burocrático. Os serviços que podem ajudá-los a sair das ruas são inacessíveis para eles.

Como Blockchain pode ajudar os sem-abrigo

Projeto MyPass em Austin, no Texas

Blockchain está a revelar o seu potencial na área da identidade auto-soberana. Os documentos de identidade podem ser verificados e armazenados digitalmente em Blockchain, o que faz com que deixe de ser necessário os indivíduos andarem com documentos de identificação físicos. Um novo projeto em Austin, no Texas, está agora a colocar este caso de uso de Blockchain a funcionar ao serviço da população de sem-abrigo da cidade.

O MyPass armazena documentos digitalizados para pessoas sem-abrigo. O sistema armazena os documentos de identificação, mas também pode armazenar registos médicos, o que significa que alguém pode receber tratamento em diferentes clínicas. Ao indivíduo é fornecido um login seguro para que possa aceder ao seu armazenamento de documentos a partir de qualquer computador, smartphone ou via SMS. Se utilizar uma clínica, pode usar o computador da clínica para inserir os seus detalhes, permitindo-lhe  fornecer qualquer documentação necessária para o seu tratamento ou informações do seu registo clínico.

Embora ainda esteja em fase piloto, as esperanças são altas para que possam ser replicadas numa escala maior. O projeto recebeu financiamento do Bloomberg Philanthropies Mayors Challenge. Agora, várias organizações de caridade e outras organizações em Austin estão a tentar resolver alguns problemas iniciais, como a gestão de detalhes de login perdidos. Mas, dado o potencial do projeto para ajudar os sem-abrigo em Austin, estes não são obstáculos significativos que não possam ser superados.

Projeto Fummi em Nova Iorque

A cidade de Nova Iorque também está a experimentar um projeto semelhante em parceria com a organização Blockchain for Change. Em 2017, a organização distribuiu smartphones a três mil sem-abrigo em Nova Iorque. Os telefones já estavam carregados com uma aplicação chamada Fummi.

Ao trabalhar esta parceria com outros prestadores de serviços, o grupo criou identidades digitais para os destinatários do smartphone. Com o registo digital, os indivíduos também tiveram acesso a uma conta para receber moedas digitais. Os telefones continham um saldo pré-carregado das moedas. Os destinatários poderiam ganhar mais moedas através de atividades como o encaminhamento de novos utilizadores e a compra de serviços através da plataforma.

Dar o próximo passo

Estes dois projetos são atualmente os únicos exemplos documentados de Blockchain que são utilizados ​​para ajudar os sem-abrigo. No entanto, os membros da comunidade Blockchain estão a especular sobre os próximos passos. A identidade digital parece uma progressão natural, principalmente porque já foi implementada com sucesso pelo Programa Mundial de Alimentação na alimentação de refugiados.

Registar a identidade de sem-abrigo numa Blockchain tem outros benefícios para os fornecedores de serviços que os estão a ajudar. Um registo partilhado permanente traz uma maior eficiência para interlocutores que interagem com estas pessoas, como os gestores de abrigos. Com um registo digital partilhável, não precisam de gastar mais tempo e recursos ao integrarem alguém de cada vez que se mudam.

Particularmente, o uso de carteiras digitais seguras para distribuir fundos para moradores de rua cria uma alternativa mais segura do que o dinheiro real, já que o transporte de dinheiro faz com que os sem-abrigo sejam presas fáceis para o roubo. Para além disso, como as despesas com moedas digitais também são rastreáveis, as instituições de caridade podem demonstrar onde os fundos são gastos.

Os sem-abrigo estão entre os mais vulneráveis ​​da sociedade. Se Blockchain os pode ajudar a obter um melhor e mais rápido acesso aos serviços de abrigo, e aos apoios médico e financeiro de que tanto precisam, então é melhor para o mundo.