App para partilhar dados médicos vence desafio de Blockchain

Blockbird Ventures foi considerada a vencedora do Open Innovation Challenge, promovido pela Aliança Portuguesa de Blockchain.

A Aliança Portuguesa de Blockchain anuncia que a Blockbird Ventures foi escolhida como a grande vencedora do Open Innovation Challenge. A Blockbird será, assim, uma das empresas que terão a oportunidade de apresentar o seu projeto na Conferência de Blockchain de dia 12 de novembro, em Lisboa.

Este desafio totalmente aberto procurou as melhores soluções relativas a setores não representados nos restantes Challenges da Aliança. Através deste desafio, a Aliança de Blockchain pretendeu dar aos seus participantes liberdade total de imaginar, criar e apresentar uma solução que vá para além dos outros desafios, mas que seja pioneira, tenha impacto e que acrescente valor a qualquer setor económico.

A solução vencedora foi apresentada pela Blockbird Ventures e apresenta uma forma fácil de partilhar dados médicos. A aplicação apresentada permite que os pacientes tenham toda a sua informação médica sob o seu controlo e que escolham que informação médica é partilhada com que instituições de saúde. As soluções apresentadas pelas equipas Brain-e e MedSafe foram consideradas finalistas deste desafio.

"Acreditamos no conceito de open data - especialmente no setor da saúde, onde o difícil acesso a dados inibe o desenvolvimento de novos tratamentos e tecnologias", explica José Figueiredo, cofundador da Blockbird Ventures. "A nossa solução pretende facilitar o acesso e partilha de dados médicos, devidamente autorizados, entre instituições do setor da saúde".

“Os três projetos a concurso são demonstrativos da capacidade empreendedora dos portugueses para se aventurarem em 'águas nunca dantes navegadas' como é a utilização da tecnologia Blockchain no campo da saúde e do setor energético", afirma Marco Fernandes, Presidente do Conselho da Administração da PME Investimentos. "O vencedor tem agora a responsabilidade de ser um dos projetos líderes do desenvolvimento desta tecnologia em Portugal“.

"O projeto da Blockbird Ventures foi escolhido pela visão clara e integrada de um modelo de partilha de dados no sistema de saúde. Estamos convencidos que a implementação com sucesso deste projeto terá um impacto assinalável nos custos, velocidade e portabilidade dos dados clínicos do doente - criando condições para melhores e mais rápidos serviços integrados na área da saúde", refere Paulo Lázaro, da BGI – Building Global Innovators.

Rui Serapicos, Presidente da Direção da Associação da Aliança Portuguesa de Blockchain, diz que "a saúde é um dos setores que mais podem beneficiar desde já da tecnologia Blockchain. Este aspeto torna-se bastante evidente na proposta de solução apresentada pela Blockbird Ventures, cuja solidez preconiza um grande sucesso. Quanto aos dois projetos finalistas, ficamos bastante realizados pela qualidade apresentada, tanto pela Brain-e como pela MedSafe que expuseram excelentes projetos".

De relembrar que a Blockbird Ventures, assim como os restantes vencedores dos desafios de Blockchain, vai apresentar a sua solução na Conferência de Blockchain que se irá realizar no dia 12 de novembro, no Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa. A Conferência de Blockchain tem um preço de 35€, sendo, no entanto, gratuita para os estudantes, professores e investigadores.