O que os investidores e empreendedores erram sobre tecnologia DLT e Blockchain

Urs Gubser tem analisado a tecnologia DLT desde 2012; Tentou minerar Bitcoins e Ethereum; Fez várias apostas, participou em ICOs e tentou perceber alguns dos mecanismos subjacentes. Depois de sete anos, decidiu resumir o que vê na maioria dos investidores, inovadores e empreendedores a errar sobre esta tecnologia.

 

                                                                               
                                                                                                                Urs Gubser 

1. Comparando-o com a Internet - (A próxima grande novidade)

A Internet não era algo “novo” em todos os sentidos da palavra, no entanto, conectou a base de computador e as redes LAN existentes numa rede de área muito ampla.
As origens são dos anos 60 (DARPA financiado como um meio de comunicação para sobreviver a um ataque nuclear) e embora os entusiastas da criptografia apontem que demorou 20 anos até que víssemos algumas aplicações significativas no final dos anos 80 e finalmente a comercialização em meados dos anos 90 , os projetos de Blockchain não se parecem em nada com a Internet. Muitas coisas tiveram que se unir para que a Internet funcionasse.

2. Bancos, serviços financeiros e transformação de pagamento (digital ou não)
                                                              
                                               
O tópico da revolução no setor bancário e de serviços financeiros em geral tem grande fascínio. No entanto, existem várias áreas em que Blockchain e DLT prejudicam mais do que realmente ajudam:

Todas as indústrias estão a passar por uma transformação digital que se concentra na mudança de nossos processos, uma vez que ainda estão a fazer muito "trabalho manual que simplesmente foi digitalizado". A ironia é que especialmente a indústria de serviços financeiros não é uma boa indústria de Blockchain, precisamente porque não há "confiança". O que me leva ao meu terceiro ponto:

3. Confiança - A verdadeira aplicação do Blockchain

Finalmente, entramos no caso mais importante da tecnologia Blockchain ou DLT e esse é o fator de confiança porque resolve o “Problema do General Bizantino”.

O consumo de energia do DLT torna sua aplicação comprometida, especialmente em áreas onde existem oportunidades de Greenfield (como economias emergentes).

Pode-se argumentar que, com a tecnologia Blockchain, começas na Greenfield, precisamente porque não precisas de te preocupar com acordos contratuais ou aspetos de conformidade, porque isso está incluído no(s) protocolo(s). Graças à imutabilidade do Blockchain, esse género de coisas iriam resolver muitos problemas.


                                                                   

Em Suma,

  1. a) Os entusiastas do Blockchain e da indústria precisam de se unir e criar um conjunto de regras básicas; não muito diferente do TCP / IP, antes de eles esperarem criar uma base necessária (interoperabilidade, protocolos padrão etc. - sim, existem alguns esforços em andamento) para permitir que algo cresça além do hype.

Então,
b) Deve existir uma boa aplicação que se conecte ao nosso mundo de forma perfeita e não seja constantemente desafiado pelos reguladores por ser apenas uma ferramenta para burlões e fraude e, por último,

  1. c) Muitas startups estão focadas em áreas para as quais DLT e Blockchain não são nem uma boa tecnologia e nem iriam resolver realmente um problema; em vez disso, eles deviam voltar às raízes e procurar casos de uso em que o Problema do General Bizantino represente uma barreira a ser superada.