Redes sociais em Blockchain. Uma indústria madura para a disrupção

A rede social está presente em grande parte da nossa vida moderna. Tanto é que empresas e setores económicos inteiros emergiram do nada num esforço para lucrar com a necessidade de comunicar do homem.

Mas agora, à medida que essas redes se aproximam da plena maturidade, a comunidade da Internet está a fazer algumas perguntas sérias sobre os benefícios e as desvantagens.

Este artigo foi escrito por Ryan Smith e publicado originalmente em CoinCentral.com.

Certamente estará familiarizado com o escândalo do Facebook que afetou muitos dos seus utilizadores. Como de costume, o drama desdobrou-se num grande problema - uma questão de confiança. E os sistemas sem confiança são a frente e o centro das soluções baseadas em Blockchain. O que será exatamente a rede social de Blockchain do futuro? Vamos ver como as redes atuais podem evoluir.

Freemium - É gratuito, mas ainda tem de pagar

A experiência da rede social digital deu início a um novo tipo de modelo de negócios, o freemium. Quase todas as plataformas bem-sucedidas de media social baseadas em tecnologia oferecem acesso gratuito ao seu conteúdo. Facebook, Twitter, LinkedIn, Reddit, todos eles fornecem isso.

Mas o acesso gratuito ilimitado não paga as contas. O desenvolvimento, a infraestrutura de servidores e a equipa não são pequenos custos num negócio de rede social. Então, como é que essas empresas estão a trazer dinheiro? Em suma, publicidade e analítica.

Publicidade

A primeira prioridade do modelo freemium é criar uma grande base de utilizadores. Depois de conseguir isso, começa a sério a parte difícil : como vender coisas a essas pessoas. Infelizmente, a publicidade online não é um campo muito inovador e permaneceu relativamente inalterada por algum tempo. Como resultado, a maioria das redes atualmente simplesmente vende espaço em branco no site. Quanto mais olhos você recebe, mais dinheiro você ganha.

Um olhar sóbrio nas redes sociais populares revela uma tendência preocupante; as plataformas estão a aumentar os seus esforços na área publicitária.

Um exemplo disso é o site de perguntas e respostas Quora. O feed do Quora agora está repleto de links de publicidade. Este é um 'big no-no' no mundo do marketing online. O objetivo de um profissional de marketing sempre foi levar as pessoas a um site por meio da criação valiosa de conteúdo, e não vincular os utilizadores de forma agressiva.

Um número crescente dos utilizadores mais antigos do Quora deixou de utilizar o site porque para encontrar conteúdo relevante terá de vasculhar toda a lixeira, algo que se tornou muito trabalhoso.

Analytics

Enquanto a maior parte da receita do Facebook é gerada a partir de publicidade direcionada, a rede social também ganha dinheiro, de forma controversa, com a venda de dados dos utilizadores. O Facebook está na poderosa posição de ver as tendências de consumo bem antes de qualquer outro negócio no planeta.

E pode ter a certeza de que todas as outras empresas estão preparadas para pagar, e pagar bem, por esse tipo de informação. No entanto, não há números de receita oficial, já que empresas como o Facebook e a Google preferem manter esses números em segredo por razões óbvias.

Blockchain pronto para o resgate?

O Steem é um dos exemplos mais antigos de uma rede social Blockchain em ação. Fornece informações valiosas sobre a exploração inicial desse campo. Os primeiros interlocutores nem sempre dominam, como vimos no MySpace e outros pioneiros que foram esmagados pelas empresas de segunda geração.

Alguns dos problemas fundamentais enfrentados pela rede social madura de hoje incluem:

  • Notícias falsas (Facebook)
  • Trolling excessivo (Twitter)
  • Censura e Desmonetização (Youtube)
  • Golpes diretos

A derrocada do Facebook certamente proporcionou uma oportunidade para os empreendedores de Blockchain crescerem e prometerem "uma revolução se simplesmente gastar um pouco de dinheiro à nossa maneira”. Mas terão estas startups de redes sociais de Blockchain a capacidade de suportar essas afirmações? Está claro que têm um caminho difícil pela frente. Felizmente, Blockchain tem muito a oferecer.

1. Transparência e Governance

Uma Blockchain corretamente implementada permitiria que informações e transações importantes fossem verificadas por diferentes servidores, developers e, também, utilizadores da comunidade real. As redes sociais em Blockchain que implementarem um processo democrático transparente em relação à forma como a rede é executada irão angariar utilizadores muito mais rapidamente do que aquelas que não o fizerem.

Projetos como a Aragon estão a lidar com essas questões de governance de Blockchain e jurisdições digitais. O foco da Aragon é permitir que qualquer um construa organizações descentralizadas com estruturas de empresas mais horizontais. Além disso, o utilizador ganha a capacidade de construir o seu próprio sistema judicial digital e deixar que a rede decida como resolver disputas e levar a empresa adiante.

2. Monetizar o seu conteúdo

Criadores de conteúdo a tempo inteiro sabem muito bem que ganhar dinheiro no ambiente atual da Internet exige que transfira o seu poder para redes de anúncios de terceiros ou serviços baseados em subscrições. Parece que o intermediário está em cada esquina.

No entanto, projetos de Blockchain como o Brave Browser, através da utilização da sua criptomoeda, o Basic Attention Token (BAT), estão a tentar remover por completo esses intermediários. No ecossistema do Brave, editores, utilizadores e anunciantes transferem valor entre si e os utilizadores podem contribuir com os seus criadores favoritos diretamente com o BAT.

Além disso, pode optar por participar em publicidade e ser pago por isso, eliminando a necessidade de os anunciantes forçarem as suas campanhas a utilizadores que simplesmente não estão interessados. Os editores também podem recompensar seguidores leais através de competições, partilha de redes sociais e assim por diante. Tudo isto sem a necessidade de terceiros.

3. Controlo sobre os seus dados

Um elemento importante de Blockchains funcionais passa pela remoção da possibilidade do duplo dispêndio em transações. Cada entrada no ledger precisa de ser exclusiva. Esse princípio pode ser aplicado para proteger as identidades dos utilizadores contra fraudes e lidar com a atual epidemia de bots e contas falsas.

O Civic, autodescrito como "ecossistema de identidade segura", está a trabalhar para resolver esses problemas. Numa rede social Blockchain, o utilizador tem finalmente a oportunidade de possuir os seus próprios dados e decidir exatamente quem mais tem acesso a eles. Além disso, se decidir excluir partes ou todos os seus dados, eles serão excluídos em toda a rede. Não há necessidade de se preocupar se os 'players' não autorizados ainda têm acesso e podem, portanto, comprar ou vender no mercado de publicidade.

Riscos à vista

A plataforma Steem é uma experiência interessante e continua a destacar alguns dos problemas que as redes sociais Blockchain terão de superar à medida que essas redes estiverem a ser construídas.

1. Plágio

O plágio ainda é um grande problema para os criadores de conteúdo no Steem. Apesar da campanha de demonetização contínua da Google através do YouTube, os seus algoritmos de conteúdo são particularmente eficazes a lidar com conteúdo duplicado. À media que construía o seu motor de busca, a Google entendeu desde o início que uma internet cheia de conteúdo copiado e colado poderia tornar-se inútil muito rapidamente. Este é um problema sério que as redes sociais Blockchain não estão a resolver atualmente.

2. Bots

Os bots tornaram-se numa ameaça real à viabilidade de algumas redes sociais. Developers sorrateiros vasculham linhas de código à procura de maneiras de viciar o sistema. Por exemplo, no Facebook, 'gostos' e 'partilhas' têm muito peso, e há bots que são usados para criar centenas e milhares de contas falsas. O uso de bots pode resultar em páginas que podem ser empurradas para cima no ranking.

No caso do Twitter, os bots são conhecidos por emboscar figuras importantes e contas populares. Além disso, perfis falsos que promovem fraudes estão a dificultar a realização de discussões genuínas na plataforma. Este problema também foi encontrado na rede Steemit. Um comentador numa publicação recente sobre o assunto disse que "os bid bots estão a destruir a plataforma e receio que isso é algo que já aconteceu há demasiado tempo. A curadoria manual já não é incentivada”.

3. Economia de Token

Apesar das promessas de igualdade financeira no ecossistema de criptomoeda, ainda estamos a assistir a problemas que existem no sistema tradicional. Ou seja, quando alguns interlocutores se apoderam de um grande número de tokens, inevitavelmente isso leva a que essas baleias sejam direcionadas para o funcionamento da rede. A democracia não vem apenas pré-empacotada com cada Blockchain, ela precisa de ser implementada adequadamente.

O preço simbólico da Steem também não se manteve particularmente bem nos mercados até hoje. Atrair criadores de conteúdo de alta qualidade para uma rede exige uma comunidade que possa pagá-los com um token valioso. E com um token que esperançosamente manterá o seu valor no futuro.

4. Vantagem do primeiro a aparecer

O facto é que o Facebook tem mais de dois mil milhões de utilizadores ativos mensais. Demorou 14 anos para atingir esse número. Os projetos X, Y e Z não vão simplesmente conseguir entrar e vencer projetos mais antigos e estabelecidos sem uma luta feroz, seja esse projeto em Blockchain ou não. Existe uma possibilidade muito real de o Facebook simplesmente adicionar a sua própria criptomoedas, sendo que também têm uma enorme reserva financeira capaz de apoiar o seu desenvolvimento. Da mesma forma, têm produtos que não precisam de estar associados à imagem um tanto ou quanto enganosa das ICOs.

Conclusão: O Futuro da Rede Social Blockchain

Fazer o próximo 'Facebook em Blockchain' ou 'Twitter em Blockchain' não será uma tarefa fácil. Nos casos do Facebook e do Twitter, as decisões são tomadas pelas pessoas mais poderosas da organização. Como essas empresas são negociadas publicamente, essas decisões tendem a basear-se na maximização dos lucros para os acionistas, não maximizando o valor para os utilizadores.

A rede social de Blockchain do futuro transformará este modelo na sua cabeça e procurará criar valor para todos na rede: developers, criadores, investidores e utilizadores. Ainda é cedo e haverá muitos fracassos. Mas, à primeira vista, muitos projetos estão a dar dicas de que que estamos a atravessar um caminho extremamente disruptivo.